NOSTALGIA
IV Concurso "Pinga Pinga" de Assentis - 2 de Dezembro 2006

 
A pinga do Sousa tornou-se bi-campeã
 

Já na sua 4ª edição, o concurso Pinga-Pinga e Prova de Licores confirmou que está cada vez mais maduro. Apesar da quantidade de pingas a concurso ter descido de 51 em 2005 para 43 em 2006, voltámos a ter uma participação muito significativa.

Não menos importante foi também o Concurso de Licores, que este ano teve uma prova nos mesmos moldes da prova das pingas, ou seja, sem identificação do produtor.Mais uma vez e voltando a comparar as duas provas, temos de fazer justiça ao sexo feminino, em larga maioria na prova dos licores, pelo empenho que depositaram na sua difícil tarefa de escolher o melhor licor de entre os 18 participantes.

Quanto à prova da pinga, continuámos a apostar no modelo de, 1ª fase por séries, que este ano foram 4, e final com as melhores 3 pingas de cada série. A única alteração, que julgamos ter resultado em cheio, foi a não divulgação das pingas que passaram à final deixando o suspense para o fim da grande festa.

Os provadores não tiveram tarefa fácil, mas com muita concentração e empenho, acabaram por voltar a escolher a pinga já premiado à um ano atrás. Confirma-se assim que o Sousa não é apenas o melhor a assar frango. As posições seguintes foram ocupadas pelas pingas do João Luis e do Arnaldo.

Mais tarde viemos a saber que as pingas que ocuparam os lugares do pódio tinham vindo todas de uvas da mesma vinha. Por isso, parabéns também a esse desconhecido produtor e à coerência dos nossos provadores.

Quanto ao concurso dos Licores, o Bailey's do Joaquim Silva foi o mais votado seguido de perto pelos licores da Luisa Conde em segundo, e da Maria Dulce, em terceiro.

Agradecemos a todos os envolvidos, desde a brilhante equipa da organização até aos excelentes produtotores, passando pelos provadores.

 
O que fica para a história...
 
 
 
 
 
 
 
 

Em Dezembro de 2007 cá estaremos de novo e talvez que a pinga e o licor venham a ter mais uma companhia.

Bom Natal e um Feliz Ano novo.

 
José António Costa
2006-12-14