12.ª CONCENTRAÇÃO NACIONAL DE MOTOTURISMO
GÓIS 2005
Teve-se bem!

As Mós Rolantes não poderiam faltar a esta concentração que, para além de ficar relativamente perto (cerca de 100km), consegue fazer a diferença em relação a quase todas as outras pela belíssima paisagem serrana que a rodeia.

Para facilitar as coisas, o Góis Moto Clube distribuiu com a inscrição os roteiros turísticos dos concelhos de Góis, Arganil, Pampilhosa da Serra e Lousã, para os motards poderem conhecer as suas melhores paisagens, a gastronomia, as tradições, o artesanato e a hospitalidade beirã. Uma visita ao Piódão, Folques, Salgueiro, Sobral ou a qualquer aldeia perdida no meio das serras do Açor e da Lousã não pode ser desperdiçada.

Como se pode ler no site www.goismotoclube.com “o rio Ceira que atravessa todo o recinto, com as suas sombras e os açudes, será sempre o ex-líbris da Concentração de Góis. O vale do Ceira com as suas várias praias fluviais, as piscinas naturais da Lousã, o rio Alva na zona de Arganil, e a barragem de Santa Luzia na Pampilhosa da Serra são excelentes locais para refrescar”.

A nossa participação, apesar de menos numerosa do que em Faro, foi ainda assim significativa. Mais uma vez, não foi possível reunir todo o grupo para uma ida ao mesmo tempo, pelo que os primeiros foram logo na quinta-feira, dia 18 de Agosto, e no domingo houve ainda quem arranjasse coragem para se pôr ao caminho.

Para a maioria, sexta-feira foi dia de viagem, montar tendas e "morder o esquema". A noite foi bem passada, mas com as necessárias precauções, pois o dia seguinte prometia.

Ao longo do dia de sábado, o grupo foi-se compondo e programa foi mais preenchido. No final da manhã partimos à descoberta das encostas vizinhas nas margens do rio Ceira até descobrimos um agradável restaurante para almoçar. Feita a digestão com mais umas voltas pela serra, fomos até uma das muitas praias fluviais do rio Ceira mandar o mergulho da praxe. Foi um dos momentos altos da nossa estadia com direito a passeio de barco e muitas histórias para contar.

A noite foi bem mais dura que a anterior e para a qual muito contribuíram os recém chegados que rapidamente conseguiram recuperar o atraso que tinham. Dessa noite e madrugada fica mais um rol de histórias para mais tarde recordar.

A festa em Góis estava a chegar ao fim, mas como tínhamos muito tempo para regressar a casa, optámos por uma caminho de volta um pouco mais longo com paragem para almoço em Condeixa.

Para o ano lá estaremos de novo, talvez ainda em maior número e já mais bem fardados.

José António Costa
2005-11-09

 
 
 
 
 
 
 
Fotos José António Costa