LIVRO DE VISITAS
 
Mensagens: 11 a 20 de 5330 Deixar Mensagem
Autor Mensagem
Torrejano
Torres Novas
2020-09-03 06:36
105.225.77.64    


" A PALAVRA DO SENHOR


Quando Deus fez o mundo, para que os homens prosperassem decidiu dar-lhes apenas duas virtudes.

Assim:
- Aos Suíços os fez estudiosos e respeitadores da lei.
- Aos Ingleses, organizados e pontuais.
- Aos Argentinos, chatos e arrogantes.
- Aos Japoneses, trabalhadores e disciplinados.
- Aos Italianos, alegres e românticos.
- Aos Franceses, cultos e finos.
- Aos Portugueses, inteligentes, honestos
e políticos.

O anjo anotou, mas logo em seguida, cheio de humildade, indagou:

Senhor, a todos os povos do mundo foram dadas duas virtudes, porém, aos portugueses foram dadas três! Isto não os fará soberbos em relação aos demais povos da terra?

Muito bem observado, bom anjo! exclamou o Senhor.
Tens toda a razão!
Façamos então uma correção!
De agora em diante, os portugueses, povo do meu coração, manterão estas três virtudes, mas nenhum deles poderá utilizar mais de duas simultaneamente, como os demais povos!

- Assim, o que for político e honesto, não pode ser inteligente.

- O que for político e inteligente , não pode ser honesto.

- E o que for inteligente e honesto, não pode ser político.

Palavra do Senhor! "

Abílio Conde Vieira
Assentis
2020-09-02 13:00
105.186.27.40    

Comentários de leitores do jornal desportivo O JOGO (On line) de 02.09.2020, com a devida vénia:


" Raul Moreira
O Benfica é mesmo enorme. Achas que este criminoso (Rui Pinto) tem alguma credibilidade? Não sejas totó ????

...

Luis Sá Monteiro
Raul Moreira, então o Rui Pinto é que o criminoso!.. Será que você está bem acordado e convicto do que diz? O seu benfas então o que será, mais toda ou quase toda a direção? Corrupção, lavagem de dinheiro, tráfico de droga, tráfico de influências e tudo aquilo que está plasmado nos email. Quem é aqui o totó. Abra os olhos. "

Abílio Conde Vieira
Assentis
2020-08-22 19:19
105.225.165.59    

Do Jornal "O JOGO" (On Line) de 22.08.2020, com a devida vénia.

Trata-se de um comentário de um leitor do referido jornal acerca de uma declaração de Bruno Fernandes recordando o seu primeiro golo ao serviço do SPORTING:


" Carlos Santos
Um grande golo num ano, mais um, em que o SPORTING devia ter sido campeão, mas em que foi vergonhosamente prejudicado pelas arbitragens, como é hábito desde há 40 anos. É por isso que o clube, mesmo quando tem grandes jogadores como Bruno Fernandes, Ronaldo, Rui Patrício, João Mário, Figo, Liedson e tantos outros, nunca ganha nada. Ganham outros, que somam títulos e enriquecem à custa da batota que fazem. Impunemente. "

Abílio Conde Vieira
Assentis
2020-08-20 06:43
105.225.165.59    

Do Jornal "A BOLA" (On Line) de 20.08.2020, com a devida vénia.

Trata-se do comentário de um leitor sportinguista sobre o acordo de renovação de contrato entre o SPORTING e JOELSON:

" lfariascp 19-08-2020 16:40
Como sportinguista de alma e coração, sinto uma enorme felicidade ao ver o clube ser reconstruído aos poucos, mas com critério e seriedade. Este é o caminho. Se os parasitas do costume calarem a matraca, pode ser que este grande clube tenha uma hipótese de sair da ruina em que o demente o deixou. "
Abílio Conde Vieira
Assentis
2020-08-14 06:56
105.226.205.205    

Do Jornal "O JOGO" de 14.08.2020, com a devida vénia.

"Carlos Santos
Há muitos árbitros portugueses que têm a estranha tendência para errar muitas vezes em prejuízo do Sporting ou em benefício do Benfica (antes era em benefício do Porto). Mas como nada lhes acontece - e muiitas vezes até parecem ser recompensados por isso - os árbitros, que não são parvos, partem do princípio que a vigarice é para continuar. E continuam. Siga o baile desta podridão, deste mundo de corruipção desportiva que é o futebol português onde ganha quem é capaz de fazer mais BATOTA. E não é preciso fazer sempre BATOTA, porque os lucros amealhados com a vigarice também servem para construir melhores equipas do que os adversários. Porto e Benfica fazem muito bem em aproveitar o facto de vivermos numa república das bananas, onde a justiça só é eficaz para os pilha-galinhas e onde até já assistimos, há alguns anos, ao ridiculo de ver o Ministério Público querer prender alguém por roubar um pacote de rebuçados. Os Salgados deste país continuam à solta."

Abílio Conde Vieira
Assentis
2020-08-13 14:04
105.186.27.40    

Do Jornal "A BOLA" de 12.08.2020, com a devida vénia.


"...12-08-2020 15:16
O ano passado foi mau mas desenganem-se aqueles que pensam que o SPORTING está assim tão mal. O que vocês ouvem e lêem tem um pouco de verdade mas até ao abismo vai uma distância enorme.
Por isso preocupem-se com os vossos clubes ricos e não apedrejem o SPORTING porque a pedra pode fazer ricochete."
Abílio Conde Vieira
Assentis
2020-08-10 09:08
105.226.205.205    

Do Jornal Record de 10.08.2020, com a devida vénia.

"CARLITOS71.
Há uma campha gigantecsa para denegrir o SPORTING, apadrinhada pela comunicação social portuguesa, que se caracteriza, de um modo geral, por bajular o Benfica e denegrir o SPORTING. Para quem percebe minimamente do que estamos a falar, nem é preciso ouvir o que dizem, basta ver os alinhamentos que fazem, ou seja, as notícias e os comentários, vergonhosamente tendenciosos, que aparecem no iníciop dos programas e telejornais. Ou ver as imagens que escolhem para ilustrar qualquer notícia, em que o SPORTING aparece sempre na mó de baixo. Só há uma maneira de o SPORTING ganhar a esta bandidagem toda: conseguir arranjar uma equipa capaz de ganhar aos adversário, árbitros e serventuários do Benfica que pululam na comunicação social portuguesa. Mas como eles roubam campeonatos, e o dinheiro que isso lhes rende, não é tarefa fácil. Certo é que se o SORTING tivesse roubado tanto ao Benfica e ao PORTO eles já eram muito pequeninos. E o SPORTING, apesar de tudo, continua a ser MUITO GRANDE. "

Abílio Conde Vieira
Assentis
2020-08-08 17:22
105.226.205.205    

Para quem ainda não tenha lido e lembrar a quem já sabe:

"Vitamina D: 10 perguntas e 10 respostas
Vinte minutos diários de exposição solar, sem protetor, chegam para termos a quantidade de vitamina D necessária no organismo. No entanto, mais de 60% da população portuguesa tem níveis insuficientes desta vitamina, que, afinal, tecnicamente, é uma hormona
Produz-se na pele através dos raios ultravioleta e é, depois, sintetizada para chegar às várias partes do corpo. A vitamina D previne o raquitismo nas crianças e a osteomalacia nos adultos. Com a ajuda do professor José António Pereira da Silva, diretor da Clínica Universitária de Reumatologia, em Coimbra, e do Fórum D (apenas dedicado a esta vitamina), também na mesma cidade, elaborámos um guia para saber tudo sobre esta hormona.
O QUE É A VITAMINA D?
É um produto produzido pela pele, aquando da exposição solar. Este primo afastado da cortisona funciona como uma hormona, apesar de ser chamada vitamina, já que antes pensava-se que era obtida através da alimentação. Depois de produzida na pele, precisa de ser ativada, no fígado e nos rins, para exercer os seus efeitos.
QUE EFEITOS SÃO ESSES?
É essencial para que os intestinos aproveitem o cálcio que provém da alimentação, que, depois, é depositado nos ossos. Esta vitamina aumenta o aproveitamento do cálcio que entra pela boca e diminui a sua perda pela urina, de maneira a mantê-la no sangue.
Sem vitamina D não há cálcio normal no sangue, fazendo com que o organismo o vá buscar ao “armazém”, que é o esqueleto. Ou seja: começa a corroer os ossos e a contribuir para o aparecimento osteoporose.
Esta vitamina interfere em quase todos os mecanismos fisiológicos do organismo, há recetores em praticamente todos os tecidos (pele, cabelo, coração, artérias, músculos, ossos, intestinos).
COMO PODEMOS OBTÊ-LA?
Quase exclusivamente através da exposição solar – 20 minutos
diários, nos braços e nas pernas, sem protetor solar, são suficientes.
Alguns alimentos têm-na – sobretudo os óleos de fígado de peixe e alguns peixes gordos, como o salmão e a sardinha –, mas seria preciso que consumíssemos, diariamente, quantidades impraticáveis para serem uma fonte suficiente. As quantidades que provêm da nossa dieta andam na ordem do 1% a 2%.
EM QUE ALTURA DO DIA E DO ANO?
Só conseguimos produzir vitamina D entre as 9h30 e as 16 horas. Fora desse horário, o Sol está demasiado inclinado para a produzir. Em Portugal, o Sol não é capaz de fabricá-la, entre outubro e março, porque a inclinação com que a radiação solar atinge a Terra é demasiado baixa. Ou seja: só há produção de vitamina D, entre as 9h30 e as 16 horas, de abril a setembro.
Dica: Se estiver ao sol, e a sua sombra for maior do que a sua altura, não está a produzir vitamina D. Isto porque o astro está a menos de 45 graus de inclinação.
QUAIS AS DOENÇAS CAUSADAS PELA SUA CARÊNCIA?
Nas crianças, provoca raquitismo (baixa estatura, ossos arqueados e caroços nas costelas). Num adulto ou idoso, causa osteomalacia (ossos fracos e quebradiços, falta de força, dor muscular e tendência à depressão). Contribui fortemente para o aparecimento da osteoporose nos adultos.
E EXISTEM OUTROS PROBLEMAS DE SAÚDE?
Embora não haja uma prova de causa efeito, as pessoas com, por exemplo, Alzheimer, artrite reumatoide, hipertensão e epilepsia têm, em média, estatisticamente, níveis mais baixos de vitamina D. No caso do cancro, as suas formas mais graves também têm estado associadas a níveis mais baixos.
O QUE DIZEM OS ESTUDOS?
Alguns sugerem que a correção da carência previne a doença. Num país do Norte da Europa, o Ministério da Saúde decidiu, em tempos, que todas as crianças que nascessem naquele ano iriam tomar, durante 12 meses, um suplemento de 1 000 unidades por dia. Sessenta anos mais tarde, as pessoas desse ano de nascimento tinham muito menos diabetes do que as do ano anterior e do ano seguinte. No entanto, a maior parte dos estudos recentes, em relação a esta doença, tem tido resultados negativos. Muitos médicos dizem que não receitam suplemento aos seus doentes, porque não têm provas da eficácia do medicamento.
Em Portugal, está prestes a ser apresentado um estudo, feito com 3 mil cidadãos, maiores de 18 anos, cujas conclusões são um alerta: 66% das pessoas têm níveis
insuficientes desta vitamina, 30% apresentam níveis razoáveis e apenas 4% têm os valores normais.
COM TANTO SOL, PORQUE TEMOS DÉFICE?
A mudança de hábitos da população contribuiu para isso. A exposição solar é hoje muito inferior aquela que tínhamos antes. Mas, também, devido à preocupação com o cancro da pele, já que, quando apanhamos sol, fazemos quase sempre duas coisas: pomos protetor solar e evitamos as horas de maior calor.
E NÃO HÁ RISCOS PARA A PELE?
Vinte minutos diários de exposição solar, nos braços e nas pernas, sem protetor, não correspondem a nenhum aumento significativo de cancro da pele.
O QUE RECOMENDAM AS AUTORIDADES DE SAÚDE?
Em Portugal, apenas se recomenda a suplementação para o primeiro ano de vida, ao contrário da política seguida em vários países da Europa, principalmente no Norte, onde a carência é bastante acentuada e são mais proativos e racionais nas questões de saúde.
A suplementação é considerada o principal fator no ganho em estatura da população. A altura dos povos holandeses e noruegueses – dos mais altos do mundo – é atribuída, sobretudo, a essa suplementação."
Ribatejano
Torres Novas
2020-08-02 15:35
105.225.166.16    


" ENTRE CRISTO E ALÁ!....

Ainda a propósito da abertura da igreja de Santa Sofia em Istambul ao culto muçulmano leiam este elucidativo testemunho de um advogado francês, Gilbert Collard, sobre o conceito de "infiel" para esta "religião":

----"Como demonstram as linhas que se seguem, fui obrigado a tomar consciência da extrema dificuldade em definir o que é um infiel, para poder escolher entre Alá ou Cristo, até porque o Islamismo é de longe a religião que progride mais depressa no nosso país.

No mês passado eu participei num estágio anual de actualização, necessária para renovação da minha habilitação de segurança nas prisões. Nesse estágio houve uma apresentação por parte de quatro palestrantes, representando respectivamente as religiões Católica, Protestante, Judaica e Muçulmana, explicando os fundamentos das suas doutrinas respectivas. Foi com um grande interesse que esperei a exposição do Imã.

A apresentação deste último foi notável, acompanhada por uma projeção em vídeo.

Terminadas as intervenções, chegou-se ao tempo de perguntas e respostas, e quando chegou a minha vez, perguntei:
- “Agradeço que me corrija se eu estiver enganado, mas creio ter compreendido que a maioria dos Imãs e autoridades religiosas muçulmanas decretaram o “Jihad” (guerra santa), contra os infiéis do mundo inteiro, e que matando um infiel (o que é uma obrigação imposta a todos os muçulmanos), estes teriam assegurado o seu lugar no Paraíso.

Neste caso poderá dar-me a definição do que é um infiel?”

Sem objectar à minha interpelação e sem a menor hesitação, o Imã respondeu:
----------------- "Infiel é todo não muçulmano”.

Eu respondi:
- “Então permita-me assegurar se compreendi bem; os adoradores de Alá devem obedecer às ordens de matar qualquer pessoa não pertencente à vossa religião, a fim de ganharem o seu lugar no Paraíso, não é verdade ???

A sua cara, que até então tinha tido uma expressão cheia de segurança e autoridade, transformou-se subitamente na de um menino, apanhado em flagrante com a mão dentro do açucareiro!!!

- "É exacto", respondeu ele num murmúrio.

Eu retorqui:
- “Então, eu confesso ter bastante dificuldade em imaginar o Papa dizer aos católicos que massacrem todos os vossos correligionários, ou o Pastor Stanley dizendo o mesmo para garantir a todos os protestantes um lugar no Paraíso.”

O Imã ficou sem voz !!!

Continuei:
- “Tenho igualmente dificuldades em me considerar vosso amigo, pois que o senhor mesmo e os vossos confrades incitam os vossos fiéis a cortarem-me a garganta !!!”

Além disso, aflige-me uma outra questão:
- “O senhor escolheria seguir Alá que vos ordena matar-me a fim de obterem o Paraíso,
ou o Cristo que me incita a amar-vos
a fim de que eu aceda também ao Paraíso,
porque Ele quer que eu esteja na vossa companhia???”

Nessa hora, dava para ouvir uma mosca voar, enquanto que o Imã continuava silencioso.

Será inútil afirmar que os organizadores e promotores do Seminário de Formação não apreciaram particularmente esta maneira de tratar o Ministro do culto Islâmico e de expor algumas verdades a propósito dos dogmas desta religião.

No decurso dos próximos trinta anos, haverá suficientes eleitores muçulmanos no nosso país para instalar um governo de sua escolha, com a aplicação da “Sharia” como lei em França.

Parece-me que todos os cidadãos deste país e do mundo deveriam poder tomar conhecimento destas linhas, mas como o sistema de justiça e dos “mídia” liberais combinados com a moda doentia do "politicamente correcto", não permitirão de forma nenhuma que este texto seja publicado de forma intensiva.

É por isso que eu vos peço para enviarem a todos os vossos contactos via Internet.

Obrigado,
Gilbert Collard
Cristão, Cidadão Francês e Advogado. "

Ribatejano
Torres Novas
2020-08-01 06:57
105.225.166.16    

- E esta hein !?... Perdoe-me o plágio saudoso Fernando Pessa


"Não ter onde cair morto

A notícia de que a família Espirito Santo não tinha um único bem em seu nome elucidou-me sobre o tipo de sociedade em que vivemos, aonde chegámos. Juristas meus amigos garantiram-me que é perfeitamente legal um cidadão, ou cidadã, ou uma família não ter qualquer bem em nome próprio. Nunca tinha colocado a questão da ausência de bens no quadro da legalidade, mas no da necessidade. Acreditava que pessoas caídas na situação de sem-abrigo, refugiados, minorias étnicas não enquadradas como algumas comunidades ciganas podiam não ter nada em seu nome, mas até já ouvira falar no direito a todos os cidadãos possuírem uma conta bancária, um registo de bens, nem que fosse para prever uma melhoria de situação no futuro. Considerava um acto de reconhecimento da cidadania ter em seu nome o que pelo esforço, ou por herança era seu. Chama-se a isso “património”, que tem a mesma origem de pai e de pátria, aquilo que recebemos dos nossos antecessores e que faz parte dos bens que constituem a entidade onde existimos.
Estes conceitos não valem para os Espirito Santo, para estes agora desmascarados e para os da sua extracção que continuam a não ter bens em seu nome, mas têm o nome em tantos bens, em paredes inteiras, em tetos de edifícios, em frontarias, em supermercados, em rótulos de bebidas.
O caso da ausência de bens dos Espírito Santo trouxe à evidência o que o senso comum nos diz dos ricos e poderosos: vivem sobre a desgraça alheia. Até lhe espremem a miséria absoluta de nada possuírem. Exploram-na.No caso, aproveitam a evidência de que quem nada possui com nada poder contribuir para a sociedade para, tudo tendo, se eximirem a participar no esforço comum dos concidadãos. Tudo dentro da legalidade e da chulice, em bom português.
Imagino com facilidade um dos seus advogados e corifeus, um Proença de Carvalho, por exemplo, a bramar contra a injustiça, contra o atentado às liberdades fundamentais dos pobres a nada terem, à violência socializante e colectivista que seria obrigar alguém a declarar bens que utiliza para habitar, para se movimentar por terra, mar e ar, para viver, em suma. Diria: todos somos iguais perante a lei, todos podemos não ter nada, o nada ter é um direito fundamental. Para ter, é preciso querer, e os Espirito Santo nã querem ter, querem o direito de usar sem pagar.
O mesmo direito do invasor, do predador.
A legalidade do não registo de bens em nome próprio para se eximirem ao pagamento de impostos e fugir às responsabilidades perante a justiça é um exemplo da perversidade do sistema judicial e da sua natureza classista. Esta norma legal destina-se a proteger ricos e poderosos. Quem a fez e a mantém sabe a quem serve.Os Espirito Santo não são gente, são empresas, são registos de conservatória, são sociedades anónimas, são offshores com fato e gravata que recebem rendas e dividendos, que pagam almoços e jantares. Não são cidadãos. As cuecas de Ricardo Espirito Santo não são dele, são de uma SA com sede no Panamá, ou no Luxemburgo. A lingerie da madame Espirito Santo é propriedade de um fundo de investimento de Singapura, presumo porque não sou o contabilista.
Mas a ausência de bens registados pelos Espirito Santos em seu nome diz também sobre a sua personalidade e o seu carácter. A opção de se eximirem a compartilhar com os restantes portugueses os custos de aqui habitar levanta interrogações delicadas: Serão portugueses? Terão alguma raiz na História comum do povo que aqui vive? Merecem algum respeito e protecção deste Estado que nós sustentamos e que alguns até defenderam e defendem com a vida?
Ao declararem que nada possuem, os Espirito Santo assumem que não têm, além de vergonha, onde cair mortos!
O ridículo a que os Espirito Santo se sujeitam com a declaração de nada a declarar com que passam as fronteiras e alfândegas faz deles uns tipos que não têm onde cair mortos, uns párias.
A declaração de “nada a declarar” em meu nome, nem da minha esposa, filhinhos e restante família dos Espirito Santo, os Donos Disto Tudo, também nos elucida a propósito do pindérico capitalismo nacional: Os Donos Disto Tudo não têm onde cair mortos! O capitalismo em Portugal não tem onde cair morto!
Resta ir perguntar pelas declarações de bens dos Amorins, o mais rico dos donos disto, do senhor do Pingo Doce, do engenheiro Belmiro, dos senhores Mellos da antiga Cuf, dos senhores Violas, dos Motas da Engil e do senhor José Guilherme da Amadora para nos certificarmos se o capitalismo nacional se resume a uma colecção de sem abrigo que não têm onde cair mortos! É que,se
assim for, os capitalistas portugueses, não só fazem o que é costume: explorar os pobres portugueses, como os envergonham.
Os ricos, antigamente, mandavam construir jazigos que pareciam basílicas para terem onde cair depois de mortos – basta dar uma volta pelos cemitérios das cidades e vilas. Os ricos de hoje alugam um talhão ao ano em nome de uma sociedade anónima! Os Espirito Santo, nem têm um jazigo de família!
Eu, perante a evidência da miséria, se fosse ao senhor presidente da República, num intervalo da hibernação em Belém, declarava o território nacional como uma zona de refúgio de sem-abrigo, uma vala comum e acrescentava a legenda na bandeira Nacional: “Ditosa Pátria que tais filhos tem sem nada!”
Carlos de Matos Gomes."

 
Mensagens: 11 a 20 de 5330 Deixar Mensagem
 
Voltar à página principal do assentis.org