LIVRO DE VISITAS
 
Mensagens: 1 a 10 de 5246 Deixar Mensagem
Autor Mensagem
Abílio Conde Vieira
Assentis
2018-11-20 20:02
105.228.84.198    
Exactamente como recebi, transcrevo:


" A epopéia da vergonha.

Tiro o meu chapéu à inspiração do autor.

Luís Vais Sem Tostões

Uma excelente paródia com as 4 primeiras estrofes dos Lusíadas


Os Lusíadas do Século XXI
Canalhíadas

I
As sarnas de barões todos inchados
Eleitos pela plebe lusitana
Que agora se encontram instalados
Fazendo o que lhes dá na real gana
Nos seus poleiros bem engalanados,
Mais do que permite a decência humana,
Olvidam-se do quanto proclamaram
Em campanhas com que nos enganaram!

II
E também as jogadas habilidosas
Daqueles tais que foram dilatando
Contas bancárias ignominiosas,
Do Minho ao Algarve tudo devastando,
Guardam para si as coisas valiosas
Desprezam quem de fome vai chorando!
Gritando levarei, se tiver arte,
Esta falta de vergonha a toda a parte!

III
Falem da crise grega todo o ano!
E das aflições que à Europa deram;
Calem-se aqueles que por engano
Votaram no refugo que elegeram!
Que a mim mete-me nojo o peito ufano
De crápulas que só enriqueceram
Com a prática de trafulhice tanta
Que andarem à solta só me espanta..

IV
E vós, ninfas do Coura onde eu nado
Por quem sempre senti carinho ardente
Não me deixeis agora abandonado
E concedei engenho à minha mente,
De modo a que possa, convosco ao lado,
Desmascarar de forma eloquente
Aqueles que já têm no seu gene
A besta horrível do poder perene!


Luís Vais Sem Tostões "

Abílio Conde Vieira
Assentis
2018-11-03 20:00
105.227.176.200    



" A VERDADE E A MENTIRA


Reza uma lenda do Séc. XIX que um dia a Verdade e a Mentira encontraram-se.
Diz a Mentira à Verdade: "Está um dia tão bonito". E estava de facto um dia muito bonito.
Passam algum tempo juntas até que chegam junto de um poço. " A água está tão agradável, porque não tomamos um banho as duas?" sugere a Mentira.
A Verdade, embora reticente, lá toca na água e a água estava realmente agradável. Despem-se então e banham-se.
De repente a Mentira sai da água, veste as roupas da Verdade e foge.
A Verdade salta do poço e corre todos os lugares para encontrar a Mentira e recuperar as suas vestes. O Mundo, vendo-se confrontado com a nudez da Verdade, revira os olhos, entre o desprezo e a raiva. A Verdade volta então ao poço onde desaparece para sempre, escondendo a sua vergonha.
Desde então a Mentira tem percorrido o Mundo com as roupas da Verdade, satisfazendo os caprichos das pessoas e das sociedades, e o Mundo, esse, continua a recusar-se a encarar a Verdade nua. "

Nota:
Jean-Léon Gérôme pintou em 1896 um quadro alusivo a esta lenda mostrando A Verdade (na figura de uma linda mulher nua) a sair do poço armada do seu chicote para castigar a Humanidade.

Ribatejano
Torres Novas
2018-09-12 20:46
105.225.148.196    


AINDA HÁ LIDERES INTELIGENTES, PENA É QUE SEJAM POUCOS OU APROVEITEM A INTELIGÊNCIA PARA OUTROS FINS ..........

A origem da burca

A burka, traje islâmico que cobre o rosto e corpo da mulher, tem a sua origem num culto à divindade Astarte, deusa do amor, da fertilidade e da sexualidade, na antiga Mesopotâmia.

Em homenagem à deusa do amor físico, todas as mulheres, sem exceção, tinham de se prostituir uma vez por ano, nos bosques sagrados em redor do templo da deusa.

Para cumprirem o preceito divino sem serem reconhecidas, as mulheres de alta sociedade acostumaram-se a usar um longo véu em proteção da sua identidade.

Com base nessa origem histórica, Mustapha Kemal Atatürk, fundador da moderna Turquia (1923 – 1938), no quadro das profundas e revolucionárias reformas políticas, económica e culturais, que introduziu no país, desejoso de acabar de uma por todas com a burka, serviu-se de uma brilhante astúcia para calar a boca dos fundamentalistas da época.

Pôs definitivamente um fim à burka na Turquia com uma simples lei que determinava o seguinte:

«Com efeito imediato, todas as mulheres turcas têm o direito de se vestir como quiserem, no entanto todas as prostitutas devem usar a burka».

No dia seguinte, ninguém mais viu a burka na Turquia.

Essa lei ainda se mantém em vigor.

Ribatejano
Torres Novas
2018-08-27 18:46
105.225.49.206    

_______________________________
Quem é do Norte, conhece! Quem não é, aprenda!

1. Adianta um grosso – Não vale a pena
2. Aguça – Afia
3. Alapar – Sentar
4. Andar de cu tremido – Viajar sentado num veículo
5. Arreganhar a tacha – Rir e mostrar muito os dentes
6. Banca – Pia de lavar a loiça
7. Basqueiro – Barulho
8. Beiçudo/Estar de beiças – Mal-humorado
9. Bergar a mola – Trabalhar
10. Bicha – Fila
11. Biqueiro – Pontapé
12. Biscate – Serviço temporário pago
13. Bisga – Cuspidela
14. Borra-Botas – Zé Ninguém
15. Breca – Cãibra
16. Bregalho – Pénis
17. Briol – Frio
18. Broeiro – Pessoa rude ou com maus modos
19. Bufar – Soprar
20. Cascos de rolha – Local longe (ou cujo nome a pessoa não recorda)
21. Catraio(a)/Canalha/Canalhada – Crianças/Conjunto de crianças
22. Chaço – Objeto velho (especialmente carro)
23. Chibar – Revelar um segredo ou algo a quem não deveria saber
24. Choldra – Prisão
25. Chuço/Guarda-chuva – Chapéu de chuva
26. Comer o caco – Confundir (no sentido, "não entendo, estás a confundir-me")
27. Cremalheira/Roda cremalheira – Dentes/Dentadura
28. Cruzeta – Cabide
29. Cunfias/Não dar cunfias – Confiança/Não dar confiança
30. Dar um bacalhau – Cumprimentar outra pessoa com um passou-bem
31. Endrominar – Persuadir alguém (com más intensões ou falsos depoimentos)
32. Esbardalhar – Cair
33. Esquinar – Olhar de lado
34. Está um barbeiro – Está muito frio
35. Estar com a piela – Estar embriagado
36. Estar com a rebarba – Estar de ressaca
37. Estar com a telha/com o tau – Estar rabugento
38. Esteio – Parvo
39. Esterqueira – Sujidade
40. Estrilho – Confusão (no sentido de comportamento)
41. Ficar sarapantado – Ficar assustado/muito surpreendido
42. Foguete na meia-calça – Fio que surge num collant rasgado
43. Gânfias – Unhas
44. Grizar – Rir
45. Jeco – Cão
46. Lapada – Chapada
47. Laurear a pevide/Serandar – Passear
48. Levar um pêro – Levar um soco/murro
49. Lingrinhas – Pessoa magra
50. Magnório – Nêspera
51. Mirolho – Pessoa que vê mal
52. Molete – Pão papo-seco
53. Morfar – Comer
54. Morrinha – Chuvisco
55. Naifa/Naifada – Faca/Levar uma facada
56. Não vale um chabeiro – Não vale nada
57. Paleio – aquilo a que se chama "ter muita garganta" quando alguém
fala demais ou é confiante de mais
58. Palheiro – Local sujo/confuso
59. Palheta – Rasteira
60. Parolo – Que tem maus modos ou não se veste/comporta bem
61. Persiana – Estore
62. Peta – Mentira
63. Picheleiro – Canalizador
64. Pincho – Salto
65. Portinhola – Braguilha (referente à abertura das calças)
66. Ráfia – Fome
67. Regar – Mentir
68. Repas – Franja
69. Sabugos – Cutículas das unhas
70. Saraiva/Saraivada – Granizo
71. Sebadola – Pessoa suja ou que se suja com facilidade
72. Ser atabalhoado – Ser trapalhão/desajeitado
73. Sertã – Frigideira
74. Sostra – Preguiçoso(a)
75. Surbia – Cerveja
76. Testo – Tampa do tacho
77. Traquitana – Carro velho
78. Trengo – Trapalhão/desajeitado/totó
79. Trunfa/Gadelha – Cabelo grande e desajeitado
80. Vai dar uma volta ao bilhar grande – Mandar alguém sair do caminho
(especialmente em situações de zanga)
81. Vai-me à loja – Vai passear (no sentido de "não me chateies")

Abílio Conde Vieira
Assentis
2018-08-24 19:47
105.227.23.250    

Porque o assunto é sério e merece leitura atenta, não quis deixar de abaixo transcrever integralmente o texto que acabei de receber e cujo autor desconheço.

" Sempre fui a favor da ajuda a povos cujos países estão em guerra e que têm de fugir, mas neste caso a grande fuga não é dos foragidos à guerra e terei de concordar com o que se está a passar vir a ser um grave perigo para a Europa!

(créditos VP)

TARDE DEMAIS?...
Josip Broz Tito, mais conhecido por Marechal Tito, nascido em Maio de 1892 na Croácia, filho de pai croata e mãe eslovena, fundou a República da Jugoslávia, tendo conseguido manter a unidade e integridade territorial, entre 1953 e 1980, dos chamados “6 povos jugoslavos”: Croácia, Eslovénia, Sérvia, Montenegro, Macedónia e Bósnia.
Governou em plena Guerra Fria entre os imperialismos Americano e Soviético. Defensor de um socialismo-comunismo próprio, nunca alinhou com as ideologias marxistas, nem de cariz soviético nem de influência chinesa.
A sul da Jugoslávia estava a Albânia, governada por Enver Hoxka fervoroso esquerdista, defensor da linha comunista chinesa de Mao Tse Tung, o que originou que a Albânia se tornasse no país mais pobre e miserável da Europa.
Tito movido por intenções solidárias e humanitárias criou condições e favoreceu a fuga de Albaneses para o Sul da Jugoslávia, mais precisamente para a província Sérvia do Kosovo, que fazia fronteira com a Albânia. Criou escolas, ensino da língua albanesa, estruturas sociais, construção de Mesquitas. Centenas de milhares de albaneses fugiram para o Kosovo. Deu-se durante 4 décadas uma constante invasão demográfica pacífica de solo Sérvio.
O Kosovo está para a Sérvia, assim como Guimarães está para Portugal. Foi lá que nasceu a nação Sérvia.
Os albaneses tinham valores, religião, costumes, tradições, hábitos antagónicos aos sérvios. A chegada de grandes massas albanesas à província Sérvia do Kosovo, trouxe como é óbvio, problemas sociais e de integração entre duas culturas diferentes. Os sérvios que podiam, iam saindo da sua terra, fugindo ao caos que se foi instalando. Os albaneses são muçulmanos. Os Sérvios são cristãos Ortodoxos.
Até que em 2008 a província Sérvia do Kosovo, dominada pelos muçulmanos albaneses declarou-se unilateralmente como estado independente, roubando à Sérvia parte do seu território e expulsando os sérvios que ainda lá habitavam. Nesta acção política, a maioria dos governos europeus já amedrontados com a supremacia e ideologia muçulmana, fomentou este roubo.
Vem isto a propósito do que está a acontecer na Europa. Uma conquista muçulmana não militar. Inicialmente de supostos refugiados de guerras no Médio Oriente, que evoluiu para uma invasão organizada, premeditada, planeada e promovida pelos estados super ricos sunitas do Golfo (Arábia Saudita, Bharein, Katar, Kwait, Oman, Abu Dhabi, Dubai), agora de povos africanos especialmente sub-saharianos, com vista à islamização da Europa.
E que fazem alguns estados europeus? Criam condições favoráveis à sua vinda, construindo Mesquitas, instalando Madrassas, institucionalizando o ensino do árabe e sustentando com subsídios os invasores. Destes invasores, 78% dos homens e 92% das mulheres não trabalham. Os factos históricos são cíclicos e repetitivos. O que aconteceu na antiga Jugoslávia, está a acontecer na Europa.
Parece haver um despertar nos europeus, para esta situação que tende para o abismo. Recorde-se que não são os governos os responsáveis, mas sim as populações que neles votam e que sabem previamente as linhas de conduta ideológica dos futuros governantes.
Nos últimos meses tem-se assistido a uma viragem no sentido de voto, favorecendo partidos claramente anti imigração, anti invasão e anti Islão.
Neste momento há já 8 países da União Europeia com governos claramente anti invasão: Polónia, Hungria, Áustria, Eslováquia, Eslovénia, República Cheka, Bulgária e Itália.
A estes 7 já com maioria parlamentar e governos, juntam-se mais 10, que embora não tenham governos decididamente anti Islão, já possuem deputados nacionalistas nos Parlamentos dos seus países: Alemanha, Bélgica, Chipre, Dinamarca, Finlândia, França, Grécia, Letónia, Holanda e Suécia.
Dos 27 países da União Europeia ainda há 9, em que os povos permanecem adormecidos e a fazer como a avestruz. Ainda não acordaram da letargia que os poderes instituídos e a comunicação social lhes transmite incessantemente: Croácia, Espanha, Estónia, Irlanda, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Portugal e Roménia.
Espera-se que, quando acordarem, não seja tarde demais. "

Abílio Conde Vieira
Assentis
2018-08-12 18:51
105.227.176.12    

Acabei de receber um e-mail que abaixo se transcreve:
(Cada qual tire a suja conclusão. Eu tirei a minha)


"Repassando, pelo mesmo preço...
________________________________________
Assunto: Deputados ingleses...!

Não é de estranhar, mas é interessante saber... como tudo é diferente...

Os deputados do Reino Unido, na "Mãe dos Parlamentos",

1 . não têm lugar certo onde sentar-se, na Câmara dos Comuns;
2 . não têm escritórios, nem secretários, nem automóveis;
3 . não têm residência (pagam pela sua casa em Londres ou nas províncias)
Detalhe: e pagam todas as suas despesas, como todo e qualquer trabalhador!
4 . não têm passagens de avião gratuitas, salvo quando ao serviço do próprio Parlamento;
5. E o seu salário equipara-se ao de um Chefe de Secção de qualquer repartição pública!

Em suma, são SERVIDORES DO POVO e não PARASITAS do mesmo.

A propósito, sabiam que, em Portugal, os funcionários não deputados que trabalham na Assembleia têm um subsídio equivalente a 80 % do seu vencimento?

Isto é, se cá fora ganhasse 1000,00 €, lá dentro ganharia 1800,00 €. Porquê? Profissão de desgaste rápido???

E por que é que os jornais não falam disto? Porque têm medo? Ou não podem? "

Abílio Conde Vieira
Assentis
2018-08-05 09:51
105.226.205.18    

Um amigo meu de longa data acaba de me presentear com o resultado de uma pesquisa por si feita sobre as origens do famoso corridinho algarvio. Porque esse resultado me parece muito interessante, teria forçosamente de o transcrever para este nosso site. Ei-lo:

" O CORRIDINHO

é uma dança tradicional algarvia (embora também tenha contaminado o Alentejo e, até certa parte, o Ribatejo e a Estremadura), e ao contrário de outros folclores mais setentrionais como a chula e o vira, tem origem relativamente recente. Nasce enquanto dança de corte, do homem para a mulher. Tratava-se assim de um bailado de engate, inicialmente ao sabor da harmónica, e mais tarde ao do acordeão, instrumento europeu que começou a ser tocado e difundido nesta província que limita o sul de Portugal.

Consta-se que o Corridinho descende das polkas do oeste europeu, canções que tinham como mote meter o povo a bailar, e que reinterpretações regionais ao longo do tempo – onde podem ter entrado influências do fado, de música tradicional escocesa, do vira ou da chula – foram transformando estas composições até terminarem neste género musical que associamos às festas populares e de bailarico do Algarve. O Corridinho, diga-se, foi-se reinventando também, sobretudo ao nível da coreografia, hoje bem mais complexa que a original.

Trata-se de uma dança de pares, em que as várias parelhas acabam por formar um círculo, e onde homem e mulher bailam agarrados às ordens do mandador, que dá as instruções cá de fora. A música, por vezes, vai aumentando de intensidade e de ritmo, são os repicos, que aceleram movimentos e galvanizam o público. Entretanto a roda pára, e cada par, à vez, tem direito a uma performance única, em que normalmente o homem abraça a sua companheira e, de chapéu levantado no ar e pose de galanteio, gira-a sobre si próprio, em movimentos que a sabedoria passou a tratar por escovinhas, nos quais a mulher, habitualmente, tem a perna levantada até à anca do seu parceiro. Estas danças individuais dão intervalo à dança conjunta que vai girando sempre para a direita. Há, no entanto, várias variações a este tipo de estrutura coreográfica, sendo a mais conhecida um tipo onde os bailarinos vão fazendo fundos antes e depois de formada a roda.

Curiosamente, há contudo [facto pouco conhecido] quem defenda que este tipo de música teve origem numa dança de salão nascida nos meados do século XIX, algures na Europa oriental, e trazida para o Algarve por um espanhol chamado Lorenzo Alvarez Garcia, que decidiu cortejar a jovem louletana Maria da Conceição, dedicando-lhe La AzucenaI – uma polca. O corridinho nasce, então, como dança de cortejo.
Instrumento fundamental do corridnho é o acordeão que chegou à região algarvia nos finais do século XIX. O novo instrumento popularizou-se rapidamente enriquecedo os reportórios locais. As danças de salão, então em voga – as polcas e as mazurcas – passam a entrar, interpretadas em acordeão, nos bailaricos do campo ao lado dos velhos sarilhos e bailes de roda. Os tocadores inventam-nas e reinventam-nas, acabando por nascer o corridinho.
Alguns autores, como José Alberto Sardinha, que é de resto uma autoridade na matéria, não abdicam de associar o Corridinho ao fado corrido. Esta ligação é sublinhada por vários estudiosos e, até, por alguns tocadores. É evidente que o fado corrido tem a ver com corridinho, na só nas palavras como na forma.
A este respeito, há notícias de várias fontes, de que se deve destacar o capítulo «Tipos populares» do livro de Manuel Envia Coisas de Setúbal. Conta o autor que, por volta de 1880, existia em Setúbal um boémio tocador de guitarra, de sua graça Carlos Rosa, que tinha como fado predilecto o corrido. Mais adiante, trata o fado corrido por «o corridinho», que era «acompanhado por algumas estrofes cantadas pelo guitarrista». Por fim, quando relata a morte do Carlos Rosa, o autor exclama: «Finis corridinho!».
Por outro lado, muitos tocadores populares têm salientado a referida semelhança musical entre o corridinho e o Fado. Em Casais Gaiola, Cadaval, por exemplo, quando se fez notar ao tocador de harmónio António Silvestre que o corridinho que acabara de tocar era muito parecido com o fado batido, ele reconheceu que, efectivamente, não havia muita diferença entre eles e que até se poderia confundi-los, mas que o corridinho tinha um andamento mais vivo.

O corridinho que corre em outros sítios é também escrito em 2/4 mas é mais valsejado, talvez influências do vira e da chula. Fica no entanto a certeza que a dança é de facto algarvia. O repicado, o rebatido e a escovinha são coisas da gente do algarve. "

Ribatejano
Torres Novas
2018-07-31 19:52
105.225.92.57    


O estudante que teve 0% num exame (mas que não respondeu errado a nenhuma pergunta)

Respostas com 0% em testes, mas que não estão erradas!

1) Em que batalha morreu o Almirante Nelson?
- Na sua última.

2) Onde foi assinada a Declaração de Independência?
- No fim da folha.

3) O Rio Rave corre em que Estado?
- No estado líquido.

4) Qual é a principal causa do divórcio?
- O casamento.

5) Qual é a razão principal para falhar?
- Os exames.

6) O que é que não se pode comer ao pequeno-almoço?
- O almoço e o jantar.

7) O que parece uma metade de uma maçã?
- A outra metade.

8) Se lançarmos uma pedra pintada de vermelho ao mar azul, no que é
que se transforma?
- Numa pedra molhada.

9) Como é que um homem consegue estar oito dias sem dormir?
- Facilmente. Dorme de noite.

10) Como é que se pode levantar um elefante com uma mão?
- Não é possível encontrar um elefante só com uma mão.

11) Se tiver 3 maçãs e 4 laranjas numa mão e 4 maçãs e 3 laranjas na
outra, o que é que tem?
- Mãos muito grandes.

12) Se foi preciso a 8 homens, 10 horas para construir um muro, quanto
tempo demorarão 4 homens a fazê-lo?
- Nenhum. O muro já tinha sido construído pelos outros.

13) Como é que se consegue deixar cair um ovo em cima de um chão
de cimento sem o partir?
- De qualquer maneira. O chão de cimento dificilmente se parte.

Abílio Conde Vieira
Assentis
2018-07-28 06:42
105.225.197.42    


Este poema foi escrito pelo professor Roberto Abadie Soriano,
Uruguai, aos 92 anos.

Vida saudável e organizada
Comida sempre moderada
Não abusar dos medicamentos
Esforçar-se em todos os momentos
Não mudar por nada
Exercício e diversão
Fugir da inquietação
Pouca clausura, muito cuidado
E ter sempre uma ocupação

Ribatejano
Torres Novas
2018-07-20 20:36
105.184.162.198    
Vinda do Brasil:


"OS ADVOGADOS NÃO MENTEM

UM ADVOGADO tinha 12 filhos e precisava sair da casa onde morava e alugar outra, mas não conseguia por causa do monte de crianças, pois quando ele dizia que tinha 12 filhos, ninguém queria alugar porque sabiam que a criançada iria destruir a casa.

Ele não podia dizer que não tinha filhos, não podia mentir, porque, afinal, como todos nós sabemos, os ADVOGADOS não podem mentir...

Estava desesperado, o prazo para se mudar já se estava a esgotar.

Então teve uma ideia: êle mandou a mulher ir passear no cemitério com 11 dos seus filhos .

Pegou no filho que sobrou e foi ver casas que lhe interessavam, juntamente com o agente da imobiliária.

Gostou de uma e, quando o agente lhe perguntou quantos filhos ele tinha e ele respondeu que tinha 12.

Então o agente perguntou-lhe :

- Onde estão os outros ? !

E ele respondeu, com um ar muito triste:

- Estão no cemitério, junto com a mãe deles.

E foi assim que ele conseguiu alugar uma casa sem mentir...

Não é necessário mentir, basta escolher as palavras certas.

Assim são os políticos, pois não é por acaso, que quase todos eles…..são advogados...! ! ! "

 
Mensagens: 1 a 10 de 5246 Deixar Mensagem
 
Voltar à página principal do assentis.org