CRÓNICAS DE ASSENTIS
 
Assentis - Crónicas
Haja Concórdia
 
         Diz-nos a Enciclopédia Portuguesa e Brasileira que Concórdia terá sido uma cidade da antiga Lusitânia. Embora citada por Potolomeu, ainda não está seguramente identificada. No entanto, li algures (peço desculpa por não me recordar da fonte que cito) que Concórdia se situava em toda a região abrangida por Assentis, Fungalvaz e Bezelga . Como se costuma dizer, “vendo pelo preço que comprei” mas estou em crer que embora não me recorde onde li o que acima escrevi, a fonte era certamente fidedigna.

         Ainda citando a mesma Enciclopédia Portuguesa e Brasileira e segundo a Mitologia, Concórdia era uma Divindade Romana filha de Júpiter e Témis, que simbolizava a união política entre os habitantes duma região e velava pela harmonia entre os membros duma mesma raça ou família. Foi-lhe consagrado o primeiro templo por Camilo no ano 387 da república (367 a.C.) para comemorar a paz que se estabeleceu na cidade após divergências levantadas em torno do direito à eleição de um cônsul entre os plebeus.

         Continuando a valer-me da Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, Concórdia é um substantivo feminino que significa união dos corações e das vontades; boa inteligência entre pessoas ou entidades; harmonia.

         Estando muito provavelmente sob o solo de Assentis resquícios da antiga cidade de Concórdia, é responsabilidade acrescida dos seus cidadãos promoverem a paz, harmonia e espírito de entreajuda.

         Saudações amigas


Alfredo de Sousa Tomás
2006-10-10
 
 
 
Voltar à Lista de Crónicas